2.png

Festas essas que construíram a cultura popular e religiosa local, que a cidade busca manter viva. As festas só foram reconhecidas no ano de 1741, porém sua história começou a muito tempo antes, história essa que será explorada detalhadamente no decorrer do projeto, com olhares antigos e com a visão do jovem.

Cópia do cartaz da tipografia

 LAMBE-   LAMBE   

Palestra da Conferência

 RODAS DE   CONVERSA 

www.rafaelberezinski.comDSC_2430.jpg

 MÚSICA 

Tratada_c13bb1ed-9ab4-47a8-87eb-876571708836.jpg

 CULINÁRIA 

FESTA DA CARPIÇÃO

A Festa em Louvor a Nossa Senhora de Bonsucesso e o Dia da Carpição são referências para entender toda a identidade da região do bairro de Bonsucesso e assim, adentrar em uma das camadas mais importantes da permanência de organização da religiosidade do catolicismo popular em conjunto com práticas profanas e o senso comunitário deste local.

A igreja reconhece a festa desde 1741, mas o primeiro documento comprovando a existência da festividade é uma carta do Vigário Padre Manuel Garcia solicitando a permissão de sair a procissão como de costume no último domingo do mês, neste caso o dia 25 de agosto de 1907, após a missa em celebração ao Dia de Nossa Senhora de Bonsucesso. O interessante desta carta é a indicação de um festeiro para a organização da comemoração, pois o mais comum seria o próprio vigário se responsabilizar pela festividade. Também encontramos uma nota de jornal que veremos mais adiante.

Locomotiva em Guarulhos - Década de 60. AHG.jpg

GRUPOS TRADICIONAIS

Se existe um instrumento que caracteriza a cultura popular tradicional da cidade, com certeza é a viola.  Na Carpição a expressão violeria se presenta em forma de folias de reis, violeiros, orquestras de viola e catiras.

RODAS DE CONVERSA

As Rodas de Conversas  de Folclore e Produção Cultural reunirá estudiosos e pesquisadores brasileiros. Com os temas história, patrimônio e folclore, e através de abordagens transdisciplinares, estaremos ensejando a atualização e diversificação e de estudos recentes com pesquisadores contemporâneos que investigam as peculiaridades atuais das culturas populares/tradicionais, como contribuição a uma melhor compreensão do povo brasileiro em suas peculiaridades.

O AUTOR

Nascido em 1981 na cidade de Guarulhos/SP, CEO da Tádito Produção e Conteúdo, nome que também faz a homenagem ao santo festeiro São Benedito, e onde sua trajetória já sólida e empoderada, começa a fazer produções culturais e artísticas dando prioridade a produtores culturais, artistas, pesquisadores e fornecedores da área da cultura, LGBTQIA+, pretos e pretas, mulheres e nordestino. Entre as realizações, Diego Dionisio produz pela Tádito e faz a curadoria artística dos projetos: Festival Efemere, Festival Histórico de São Paulo, Festival Divercidade do Facebook, Patrimônios Vivos, Sampa Samba Rock, Rainhas do São João, Bixiga-se, Festival do Café, Virada Cultural Paulista, Parada do Orgulho Gay, Festival de Natal da Caixa Econômica, Festival de Natal do Mercadão de São Paulo e Encontro de danças populares no Sesc.